terça-feira, 8 de março de 2011

Disposições para receber a Santa Comunhão

Antes de mais nada é preciso ter bem claro em nossas mentes e corações que nenhum de nós é merecedor de receber tamanha graça, ou seja,  receber o próprio Deus que se oferece a nós no Santíssimo Sacramento.  É um dom imensurável que só nos é possível pela misericórdia infinita do Senhor.

Apenas esse amor de Deus é capaz de fazer com que a sua infinita majestade possa se unir a nossa insignificância e miséria através do mistério eucarístico.

No entanto, apesar dessa nossa condição de pecadores, existem disposições que podemos, ou melhor, devemos seguir para nos aproximarmos mais dignamente da Sagrada Eucaristia.

A primeira e mais importante delas é estar em estado de graça. O pecado mortal nos priva desse estado eliminando em nós a graça divina, rompendo em nós a amizade com Deus. Objetivamente o pecado mortal é um pecado contra  a lei divina (os Dez Mandamentos) cometido de maneira livre e consciente (não me aprofundarei nos atenuantes). Infelizmente é muito mais comum de se cometer do que poderíamos supor num primeiro momento. A conseqüência última do pecado mortal, ou melhor, de quem permanece  e morre nessa condição é o inferno.  Antes de nos aproximarmos da Sagrada Comunhão devemos fazer um sério exame de consciência, caso identifiquemos alguma situação de pecado mortal, devemos urgentemente nos arrependermos desse mal e buscarmos a reconciliação com Deus através do sacramento da confissão para só depois nos aproximarmos da Sagrada Eucaristia.

O Jejum eucarístico é outra condição:  “Quem vai receber a Eucaristia deve abster-se de alimentos e bebidas, exceto água e remédio, ao menos uma hora antes da comunhão (cf. CDC cân. 919, §1).” Infelizmente, não são poucos os que descumprem esse preceito, muitos por ignorância. Havendo casos extremos de pessoas que chegam a mascar chicletes minutos antes da comunhão, o que é um absurdo.

A santificação do domingo é um dever do cristão. Em nosso tempo perdemos muito a noção de deveres para com o próximo e principalmente para com Deus. É comum pessoas irem a Santa Missa apenas quando estão com vontade ou dispostas, esquecendo-se muitas vezes que a participação da Santa Missa é uma obrigação para todo católico. Faltar a uma Missa sem motivo justo, é falta grave  e a princípio nos impede de comungar numa próxima Missa, a não ser que arrependidos, nos reconciliemos com Deus pelo sacramento da confissão, ou mesmo por uma contrição perfeita. “A Eucaristia dominical fundamenta e sanciona toda a prática cristã. É por isso que os fiéis têm obrigação de participar na Eucaristia nos dias de preceito, a menos que estejam justificados, por motivo sério (por exemplo, doença, obrigação de cuidar de crianças de peito) ou dispensados pelo seu pastor (104). Os que deliberadamente faltam a esta obrigação cometem um pecado grave.” (CIC 2181)

O preceito dominical é cumprido quando assistimos a Missa inteira, e não apenas partes da Missa. Chegar cedo é fundamental.

Importante saber:

1) A celebração da Palavra não deve ser equiparada à Santa Missa. Sempre que possível o católico deve participar da Santa Missa em sua paróquia, sendo a participação na Celebração da Palavra uma alternativa no caso de impossibilidade de se ir á Missa. «Se for impossível a participação na celebração eucarística por falta de ministro sagrado ou por outra causa grave, recomenda-se muito que os fiéis tomem parte na liturgia da Palavra, se a houver na igreja paroquial ou noutro lugar sagrado, celebrada segundo as prescrições do bispo diocesano, ou consagrem um tempo conveniente à oração pessoal ou em família ou em grupos de famílias, conforme a oportunidade» (105). (CIC 2183)

2) A Sagrada Comunhão pode ser distribuída tanto na mão como também  na boca do fiel, sendo que a comunhão na boca é a forma mais tradicional e também a mais aconselhável por praticamente eliminar os riscos de profanações. No caso  da comunhão ser distribuída em duas espécies (pão e vinho), obrigatoriamente o ministro deve levar a Comunhão à boca do fiel. Não é permitido ao fiel fazer ele mesmo a intinção do Corpo do Senhor no Sangue do Senhor. Instrução Redemptionis Sacramentum: “104 .Não se permita ao comungante molhar por si mesmo a hóstia no cálice, nem receber na mão a hóstia molhada...”

3) O fiel pode comungar em pé ou de joelhos se preferir.

Forte abraço.
Luciano Perim Almeida

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja respeitoso.