domingo, 10 de março de 2013

Marco Feliciano e o ódio anticristão instantâneo

A luz vermelha de alerta acendeu esta semana. A principal polêmica difundida pela mídia e pelas redes sociais foi a indicação e eleição do deputado e pastor Marco Feliciano como presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal.

Toda a celeuma se desenvolveu em cima de algumas declarações do pastor/deputado num outro momento e que muitos afirmaram serem racistas e contrárias aos homossexuais.  Muito mais impactantes que as estranhas declarações do deputado foram as reações rapidamente disseminadas pela mídia, redes sociais e movimentos LGBTs.  Marco Feliciano teve a vida revirada, e foi vítima das maiores infâmias e injustiças. Tudo isso em tempo recorde. Será isso apenas uma reação ás declarações do deputado? Ou teria algo mais por trás de toda essa movimentação?

Marco Feliciano é cristão, e não obstante as resevas que tenho ao seu estilo, é notório que é um homem corajoso e não omite suas opiniões e que por conta disso acabou por nutrir todo esse ódio contra si. Ele não é apenas mais um cristão light, mornoque renuncia o que acredita para ser politicamente correto e consequentemente ser mais aceito pelas pessoas.

O ódio contra Marco Feliciano é em última instância um ódio contra a moralidade cristã e o Cristianismo em si. Não é que necessariamente quem não goste de Marco Feliciano seja anticristão, não é isso, na verdade a maior parte das pessoas nesse caso age como inocentes úteis, simplesmente seguindo o fluxo, sem se questionar muito a esse respeito. Fazem isso porque acham que é importante estar em sintonia com a maioria do momento e pensar diferente a esta altura poderia trazer alguns incômodos como críticas, rótulos ou mesmo a falta de aceitação. O que a grande maioria dos detratores de Marco Feliciano não sabe é que na raiz desse movimento há toda uma engenharia laicista e anticristã que deseja confinar o Cristianismo à esfera privada, deixando-o irrelevante na sociedade, a começar pela legislação.

É isso que está acontecendo atualmente no Brasil. Vem se impondo sutilmente e cada vez mais uma mordaça anticristã. Qualquer opinião é aceita, desde que não seja a católica ou cristã. Basta aparecer um médico, deputado, pesquisador, ou juiz que seja cristão e que exponha sua opinião em coerência com seu credo, que já aparece alguém para rotulá-lo de religioso, como se ter Fé o tornasse automaticamente um cidadão de segunda classe como menos direitos que os demais.

No caso específico do Marco Feliciano ele se opõe ao PL 122 que quer criar superdireitos para os homossexuais. Esse projeto desejado pelos movimentos gays (e nem sempre pelos homossexuais) quer criminalizar a opinião daqueles que se manifestarem contra as práticas homossexuais. Uma verdadeira mordaça gay que se implantada neste país silenciará e punirá as vozes discordantes, em suma, sementes de uma possível ditadura laicista e anticristã.
Fica o recado: antes de sairmos replicando qualquer coisa por aí no afã de sermos bem aceito ou de estarmos na moda, é preciso prestar muita atenção. Por trás das ações aparentemente mais inofensivas, reputações vão sendo destruídas e os valores que servem de base para nossa sociedade vão sendo minados. Sejamos mais prudentes, sobretudo em tempos de online e real time.

Luciano Perim Almeida

4 comentários:

  1. Esse cara é nojento, ele não age como cristão, ele age de interesse próprio e usa o cristianismo para enriquecer. Ele ataca a igreja católica quase sempre nos seus cultos, pode ver no youtube. Não defenda esse cara, não ache que o ataque a ele é um ataque ao cristianismo, porque não é!
    Ele disse uma vez no seu culto a um fiel cristão, um fiel que está lá buscando ao nosso Senhor Jesus Cristo, ele disse o seguinte: ''Doou o cartão mas não doou a senha. Depois, vai pedir um milagre a Deus, Deus não dará, vai dizer que Deus é ruim.''. Isso, pra mim, é um ofensa a todos os cristãos. A todos que buscam a Jesus.
    Então, por favor, não defenda esse cara, não misture as coisas.
    E isso não é invetado. Está no youtube todos os cultos desse pastor, só ver!

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. O texto é um alerta sobre o perigo do laicismo confinar a religião e os seus valores a esfera privada, em especial o Cristianismo. Marco Feliciano tem sido apenas mais uma vítima desse ataque. Não endosso as declarações esdruxulas que ele fez, muito menos os ataques a minha religião católica, mas me solidarizo com ele quanto a perseguição injusta que tem sofrido.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Perseguição injusta? Você deve estar brincando! Após o comentário anterior onde foi exposto o quanto esse senhor é falso religioso vc ainda acha que é injusta a perseguição? Ele não é religioso, ele não é cristão e ele não deveria nunca poder falar em nome de Deus ou do Senhor Jesus Cristo. É um absurdo que ainda existam pessoas como você que em busca da defesa da religião corra em defesa desse empresário mercenário que usa pessoas e o nome de Deus para lucrar altos valores, vide o "dízimo" pedido por ele de 1000 reais!

    Isso é um absurdo! Ter esse senhor, que me recuso a referir como pastor, pq não é, ele é um deputado, na comissão de direitos humanos e da minoria. Uma pessoa que diz que os negros são ruins por descenderem do ancestral amaldiçoado por Noé. Quem ele pensa que é para falar uma besteira dessas em pleno 2013! Negros já sofrem demais por terem sido escravizados! Vivemos em um país com 50% da população de negros ou pardos, fomos os últimos a abolir a escravidão, o que mais precisamos fazer para subjulgar essa raça?

    Não vou falar sobre homosexuais, pois como religioso que vc é vai entender errado, mas por favor, pare de defender esse senhor, que está somente fazendo dinheiro e tentando usar o nome de Deus em sua defesa. Não existe movimento anti-cristão no Brasil, um país onde 99% da população tem como cristianismo, seja evangelico ou catolico como religião não pode se achar no direito de fazer uma declaração absurda dessas.

    Todo esse barulho feito na internet e nos grupos minoritários não é contra religião, mas contra um deputado que usa do poder que foi lhe dado por um povo ignorante como o nosso para fingir que fala em nome de Deus e da sociedade brasileira. Não podemos aceitar isso, NUNCA!

    ResponderExcluir
  4. Caro anônimo ( já que vc não quer se idintificar),

    Acho que vc não entendeu a minha publicação. Não defendo declarações inconsequentes de ninguém. Se vc leu o artigo verá que exponho isso logo no início. As reações contra Marco Feliciano são injustas sim, porque são desproporcionais, porque pinçam partes daquilo que ele falou e o julgam apenas por isso. Querem reduzi-lo a um monstro nazista que definitivamente ele não é. Ele é religioso sim, é pastor sim. E o fato de vc não gostar dele não mudam os fatos. Quanto a mim, vc considera absurda a minha existência? Por acaso gostaria de me eliminar? Se liga rapaz/moça. Quanto a de religião, defendo a liberdade religiosa que é essencial em um estado democrático de direito, e que ao contrário do que vc pensa tem sofrido tentativas de cerceamento em nossa sociedade. Quanto a teologia da prosperidade possivelmente praticada pelo pastor, creio que não preciso dizer que sou católico e abomino essa prática, mas não é disso que estou falando no meu artigo. Se vc quiser continuar na onda... movido e alimentada pelos inimigos da religião é problema seu, mas é meu dever reconhecer uma injustiça e denunciá-la quando me salta aos olhos, principalmente quando vejo meio mundo se iludir a esse respeito. Me uno a Marco Feliciano na sua luta contra os superdireitos gays e na tentativa de normalizar uma relação que aos olhos de Deus e da própria razão é antinatural. Gostaria que se identificasse, se for possível.

    ResponderExcluir

Seja respeitoso.